Semana Estadual Monteiro Lobato de Incentivo à Leitura é instituída no AM

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

A “Semana Estadual Monteiro Lobato de Incentivo à Leitura” foi instituída, este ano, no Amazonas com o objetivo de dar mais visibilidade à leitura em centros educacionais do estado. A iniciativa terá ações anualmente, no período de 12 a 18 de abril, em escolas, bibliotecas e outras instituições estaduais de caráter educacional e lazer, por meio de oficinas literárias, encontro com autores, doação e troca de livros.

A Lei Nº5.889, que trata sobre a semana estadual de incentivo à leitura, foi sancionada pelo governador Wilson Lima. Para a secretária de Estado de Educação e Desporto, Kuka Chaves, a resolução é mais uma forma de despertar nos alunos o hábito da leitura e escrita.

“A leitura é parte fundamental da educação. É com ela que a gente conhece outras culturas e amplia a imaginação. Vejo nessa Lei, sancionada pelo governador, uma forma de motivar ainda mais a leitura nas nossas escolas. Já é uma prática comum ter rodas de leitura e debates, e agora teremos uma semana para falar de autores e obras clássicas, conhecer novas histórias, incentivar a escrita dos nossos alunos e professores”, disse a secretária.

Nesse segmento, o governo estadual mantém o projeto “Mania de Ler”, que beneficiou mais de oito mil pessoas em 2022. O programa conta ainda com o projeto “Biblioteca Volante”, que já levou oficinas literárias para escolas de 25 bairros de seis zonas de Manaus, além dos municípios de Iranduba, Cacau Pirêra, Rio Preto da Eva e zona rural de Manacapuru.

Remição

Outra iniciativa é o Programa “Remição Pela Leitura”, realizado pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP), que já atingiu a marca de 3 mil ressocializações, o que representa mais de 60% da população carcerária do Amazonas. O reeducando é inserido no programa assim que chega na unidade prisional, onde recebe um livro e um kit com itens pessoais.

De acordo com o chefe de setor da Escola de Administração Penitenciária, tenente Tales Renan, o projeto busca educar por meio da leitura e dessa forma, proporcionar a redução de pena.

“O detento recebe um livro paradidático e, ao final de 30 dias, faz uma prova de interpretação sobre a temática da obra. Caso o detento seja aprovado, ele recebe quatro dias de remidos, pela obra lida. Ou seja, em um ano, ele terá lido 12 livros e tais obras poderão lhe conceder 48 dias remidos”, disse o tenente.

Da Assessoria