Siga-nos as redes sociais

Responsabilidade de manter CMA sem novas ocupações é do Exército, diz Secretário de Segurança

Responsabilidade de manter CMA sem novas ocupações é do Exército, diz Secretário de Segurança
Reportagem: Álex Ferreira

Cerca de 200 agentes públicos atuaram para desmontar o acampamento bolsonarista em frente ao Comando Militar da Amazônia (CMA), na Ponta Negra, zona oeste de Manaus.

A ação ocorreu em cumprimento à decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes.

A retirada começou antes das 11h dessa segunda-feira e teve a participação de negociadores do Exército e da Polícia Militar do estado.

Equipes da Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), foram responsáveis por retirar estruturas como lonas, barracas e ferragens que sustentavam o acampamento.

O Comandante-geral da PM, coronel Vinícius Almeida, disse que a retirada dos manifestantes foi pacífica. (Ouça)

Os manifestantes estão reunidos em frente ao Comando Militar da Amazonia desde dia 31 de outubro, após o resultado das eleições – um total de 70 dias.

Durante esse período, uma série de ilegalidades foram registradas, como perturbação da ordem pública, gritos golpistas pedindo intervenção militar e ataques a jornalistas.

Órgãos federais, estaduais e municipais atuaram em conjunto para dispersar as pessoas e desmobilizar o acampamento. Entre elas, as secretarias de segurança municipal e estadual, Polícia Federal, Exército, Conselho Tutelar, entre outros.

O titular da Secretaria de Estado de Segurança Pública, coronel Alberto Mansur, afirmou que o monitoramento de um possível retorno dos manifestantes ao Comando Militar da Amazônia deve ser responsabilidade do Exército. (Ouça)

A retirada das tendas e manifestantes da frente do CMA acontece após os atos terroristas e antidemocráticos registrados no último domingo, em Brasília.

Manifestantes radicais invadiram e depredaram o Congresso Nacional, o STF e o Palácio do Planalto. Alguns deles chegaram a defecar e urinar em móveis e no interior de salas que são palcos da democracia brasileira.