Profissional de saúde reforça estímulo ao aleitamento materno em Manaus

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Como parte da programação do Agosto Dourado, desenvolvida pela Prefeitura de Manaus, para reforçar a importância da amamentação no desenvolvimento das crianças, aconteceu, nessa quinta-feira (4), a webconferência Diálogos na Atenção Primária à Saúde, com o tema “Semana Mundial de Aleitamento Materno 2022”.

A conferência virtual reuniu a enfermeira obstétrica do Núcleo de Saúde de Criança e do Adolescente, Ivone Amazonas; a coordenadora do Banco de Leite da maternidade Ana Braga, Maria Elizabeth Hardman; a médica pediatra e neonatologista Rossiciel Pinheiro, da maternidade estadual Balbina Mestrinho; a cirurgiã-dentista Vanessa Caliri, especialista em odontologia e ortodontia; e a chefe do Núcleo de Alimentação e Nutrição da Semsa, Lia Ferreira.

Ivone Amazonas, do Núcleo de Saúde da Criança e do Adolescente, coordenou a roda de conversa destacando a importância do envolvimento dos profissionais de saúde para que a população de modo geral e as mães, em particular, percebam a importância da amamentação para a saúde da criança.

“Esse engajamento é essencial e quanto mais informações circularem, melhor. Amamentar exige muito da mulher, que precisa ter paciência, e os que estão ao seu redor precisam apoiá-la criando um ambiente acolhedor para que ela possa se adaptar e criar estratégias para nutrir seu bebê. E, onde houver uma mãe com dificuldade para amamentar, é preciso que o profissional de saúde a ajude para garantir a promoção, proteção e apoio à amamentação exclusiva até o sexto mês e complementada até os dois anos de idade ou mais”, sintetizou.

A nutricionista Lia Ferreira destacou que a amamentação garante a saúde integral da criança que abrange a saúde bucal, o desenvolvimento cognitivo e a saúde emocional.

“Uma criança saudável terá menos prevalência para a obesidade, para desenvolver doenças crônicas e terá o caminho aberto para alcançar seu potencial de desenvolvimento cognitivo. A conferência foi muito importante para a troca de conhecimentos técnicos e científicos e a participação ativa dos profissionais de saúde e do público é muito importante para que todos sejam multiplicadores dessas informações”, reforçou.

A pediatra e neonatologista Rossiciel Pinheiro, que atua na maternidade estadual Balbina Mestrinho, esclareceu dúvidas do público relacionadas a fórmulas infantis, que são produtos destinados à alimentação de crianças, mas que só podem ser prescritas pelo médico que acompanha o lactante.

“É importante falar que o aleitamento exclusivo no peito é amparado por lei, ou seja, é um direito que abrange a mãe e a criança, e que o uso das fórmulas é regulado pela Norma Brasileira de Comercialização de Alimentos Para Lactentes e Crianças de Primeira Infância, Mamadeiras, Bicos e Chupetas. Essas garantias permitem que o estímulo à amamentação seja fortalecido”.

Da Assessoria