Povos da Amazônia recebe nova edição da Feira de Economia Criativa

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

No próximo domingo (26), das 14h às 19h, o Centro Cultural dos Povos da Amazônia (avenida Silves, 2.222, Distrito Industrial) recebe nova edição da Feira de Economia Criativa – Povos Criativos, com uma programação diversa e acesso gratuito.

O evento, realizado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, em parceria com a Associação Zagaia Amazônia, faz parte do programa +Cultura e conta com atividades para fomentar a economia do estado.

Entre as atividades estão o circuito de cinema, visita mediada, espaço de gastronomia com participação de nomes como Cynthia Gourmet Coffee, exposição com temática geek, cosplayers, just dance, xadrez Harry Potter, games e quadrinistas, além de bate-papo com artistas da Galeria Manart, no Circuito Podcast.

Foto: Divulgação/SEC

No palco principal, acontecem as apresentações das cantoras Karen Francis e Luli Braga. Ainda na programação está uma oficina de pintura infantil, com Edna Rezende, e a tradicional exposição e venda de peças de artesãos amazonenses.

Segundo o secretário Marcos Apolo Muniz, o evento tem a proposta de impulsionar a economia criativa no estado, conforme a orientação do governador Wilson Lima.

“O artesanato gera renda para uma família ou comunidade, e isso tem uma grande importância na formação cultural e econômica da população”, comenta o titular da pasta de Cultura e Economia Criativa. “Artesãos de outros municípios têm espaço na Povos Criativos, como os artistas de Rio Preto da Eva, Novo Airão e Careiro Castanho”.

Artesãos

Foto: Divulgação/SEC

Regina Medeiros, natural de Maués, que trabalha com peças decorativas criadas em argila e cerâmica fria há 13 anos, vai participar da Feira Povos Criativos pela segunda vez. Ela relata que a primeira experiência foi muito positiva.

“Eu tive um feedback muito bacana no pós-feira, consegui atingir um público que antes eu não conseguia, que é o cliente corporativo”, conta a artesã. “Representantes de grupos corporativos, que pegaram meu contato na exposição, me procuraram na semana seguinte e fechamos negócios. A feira só veio somar e enriquecer o meu trabalho”.

Para a expositora Carmen Helena Corrêa, do Ateliê Carmen Corrêa, a oportunidade de divulgar seu negócio e de fazer contatos, que a feira oferece aos artesãos do Amazonas, é muito satisfatória.

“Participar da feira é muito gratificante, conhecemos pessoas que gostam do nosso produto e fazem encomendas. É uma ótima oportunidade para quem trabalha com artesanato. Como eu, que trabalho com reciclagem, literalmente do lixo ao luxo, ver alguém dando valor a uma peça que eu fiz é maravilhoso”, afirma.

A cacique da Aldeia Sete Flechas, Pararikatê, do povo Munduruku, destaca que, no evento, também encontra indígenas de outras etnias.

“Eu fico grata também por encontrar outros parentes. São parentes indígenas do Alto Rio Negro e de outros lugares, sempre nos encontramos nessas feiras, que trazem, para o povo da cidade, o nosso artesanato”, diz Pararikatê.

A presidente da Associação Zagaia Amazônia, Rozana Trilha, reforça a satisfação de reunir tantos talentos do artesanato amazonense em um só lugar, e agora envolvendo e se confraternizando com os jovens que comungam da cultura geek.

“A Feira Povos Criativos é um encontro de cores, sabores, culturas, saberes e de gerações, é um espaço democrático, onde todos são bem-vindos”, ressalta Rozana.