Siga-nos as redes sociais

Siga-nos nas redes sociais

PL de Wanderley Monteiro pede que AM tenha campanha educativa sobre cigarro eletrônico

O deputado estadual Wanderley Monteiro (Avante) apresentou um projeto de lei que visa combater o consumo de cigarro eletrônico no Estado do Amazonas. O PL N°646/2023 propõe a criação da Semana Estadual de Conscientização e Combate ao Consumo de Cigarro Eletrônico, uma iniciativa que visa alertar a população sobre os perigos associados ao uso desses dispositivos.

Um trecho da lei destaca o objetivo principal da semana de conscientização: “Durante a Semana Estadual de Conscientização e Combate ao Consumo de Cigarro Eletrônico, poderão ser realizados eventos, palestras, seminários e debates referentes aos malefícios causados pelo uso de cigarros eletrônicos e derivados e aos temas relacionados, com vistas à implementação de atividades de conscientização, discussões e afins, que deem efetividade ao evento instituído por esta Lei.”

O deputado Wanderley Monteiro explica a importância dessa iniciativa, destacando os riscos à saúde associados ao uso de cigarros eletrônicos: “O vapor dos cigarros eletrônicos percorre os mesmos caminhos da fumaça do cigarro comum: inalado, ele vai para o pulmão e ganha a corrente sanguínea; nos alvéolos pulmonares, uma parte é absorvida pelo organismo, enquanto a outra é expelida. Já temos uma legião de viciados em cigarro eletrônico no Brasil. As pessoas acham que ele não faz mal à saúde e acreditam que vá ajudá-las a abandonar o cigarro tradicional, apesar de o cigarro eletrônico ser ainda mais viciante”, disse o parlamentar.

Monteiro também observa que o Amazonas não está imune a essa problemática, e é fundamental agir para proteger a saúde dos cidadãos e evitar que uma epidemia de consumo de cigarros eletrônicos se instale no estado.

Os cigarros eletrônicos, muitas vezes promovidos como uma alternativa mais segura ao tabagismo tradicional, têm sido objeto de preocupação crescente em todo o mundo devido aos seus efeitos adversos para a saúde, incluindo problemas respiratórios e cardiovasculares.

Da Assessoria