Pacientes do projeto RespirAR visitam e realizam atividades físicas na Arena

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Quarenta e duas pessoas, entre pacientes e profissionais do Projeto RespirAR, tiveram uma manhã especial ao conhecerem a Arena da Amazônia Vivaldo Lima. A iniciativa do Governo do Amazonas, por meio da Fundação Amazonas de Alto Rendimento (Faar) e da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (SES-AM), coordenadoras do projeto, teve o intuito de propor uma atividade diferente em um dos principais cartões postais do estado.

A programação contou com visita à Galeria Olímpica e às principais estruturas do estádio, como vestiários dos jogadores e campo de futebol. Durante a programação, professores de educação física e fisioterapeutas do projeto realizaram atividades físicas com os pacientes.

A paciente Maria das Graças Menezes, 54, foi uma das visitantes que nunca tinha entrado na Arena da Amazônia. A convidada a participar da excursão chegou ao RespirAR no mês de setembro, com muitas dificuldades respiratórias. Em constante evolução, ela está na primeira fase do tratamento com a realização de sessões de hidroterapia, no Centro Estadual de Convivência da Família (CECF) Magdalena Arce Daou, zona oeste de Manaus.

“Eu me sinto privilegiada com a oportunidade que o Governo do Amazonas está dando para gente. Eu sempre passava aqui na frente e me perguntava quando iria conhecer essa arena, que é tão linda. E hoje estou aqui, graças ao RespirAR,” disse a paciente.

Outra visitante de primeira viagem foi Francisca Tavares, 59, que, além de ter sido vítima da Covid-19, é cardiopata, o que trouxe complicações ainda maiores junto às sequelas após a contaminação do vírus. A paciente é acompanhada pela equipe do RespirAR do Centro de Convivência Estadual do Idoso (CECI/Aparecida), zona sul de Manaus.

“Não sei explicar o quanto estou feliz de estar aqui dentro da Arena da Amazônia, sempre tive o desejo de conhecer esse lugar. É extraordinário, é da nossa terra, é lindo demais”, enfatizou Francisca.

Para o coordenador do RespirAR, Neibe Araújo, este momento significa muito, já que a Arena é um importante palco do esporte amazonense. “Como um dos principais objetivos do RespirAR é inserir os pacientes a uma rotina de atividades físicas e proporcionar uma vida com mais qualidade, após o tratamento de reabilitação, penso que é muito significante trazê-los aqui. É um momento de grande satisfação para todos nós”, ressaltou.

Da Assessoria