Órgãos da Operação Tamoiotatá recebem formação da Sema para uso de drones

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) encerrou, a formação em pilotagem, operação e mapeamento com uso de Aeronaves Remotamente Pilotadas (ARPs) – drones. Participaram 32 servidores de órgãos de comando e controle do Governo do Amazonas, envolvidos na Operação Tamoiotatá.


A formação foi idealizada com o objetivo de capacitar as equipes a fim de usar novas tecnologias em campo, para combater com maior eficácia os focos de queimadas e desmatamento.

“Em um estado com dimensões continentais, como o Amazonas, quanto mais conseguirmos investir em tecnologia de apoio às fiscalizações, maior eficácia teremos no combate a crimes ambientais”, disse o secretário de Estado do Meio Ambiente, Eduardo Taveira.

O curso iniciou no dia 25 de janeiro, ministrado pela equipe técnica da Sema. O conteúdo programático abordou temas como a legislação de ARPs, segurança e boas práticas de pilotagem, processamento de imagens e geração de produtos, mapeamento com uso de drones e treinamento prático.

Operação Tamoiotatá 

A Operação Tamoiotatá é uma força-tarefa com secretarias e agências do Governo do Amazonas para fortalecer o combate ao desmatamento e às queimadas ilegais no sul do Amazonas, região que, historicamente, sofre maior pressão ambiental.

“Acreditamos que o curso irá melhorar o desempenho em campo das organizações envolvidas na Operação Tamoiotatá. Como o drone permite acessar áreas remotas de difícil acesso, será possível fazer melhores análises e obter informações mais concretas sobre crimes ambientais”, afirmou Maycon Castro, engenheiro florestal e assessor chefe de departamento na Sema. 

As equipes envolvidas na Operação atuam em diversas frentes, que incluem o combate efetivo às queimadas, a realização de barreiras terrestres para coibir o mercado ilegal de madeira, além de ações de monitoramento ambiental, formação de brigadistas e cumprimento de mandados de prisão, busca e apreensão.

Entre as instituições representadas na formação para o uso de drones estão a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), o Batalhão de Policiamento Ambiental (BPAmb) da Polícia Militar do Amazonas (PMAM), a Defesa Civil do Estado do Amazonas e Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam).