Siga-nos as redes sociais

Siga-nos nas redes sociais

Mais de 300 mortes maternas entre 2020 e 2024, aponta são registradas no AM

Reportagem: Eros de Sousa

O Amazonas registrou mais de 300 mortes maternas nos últimos 5 anos. Os dados são do monitoramento dos indicadores de saúde da mulher, da criança e do adolescente da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas.

A Organização Mundial de Saúde (OMS), define como mortalidade materna a morte de uma mulher durante a gestação ou até 42 dias após o término da gestação, independente da duração ou localização da gravidez, devido a qualquer causa relacionada com ou agravada pela gravidez.

Ao todo, os dados mostram que 48% das mortes foram registrados na capital amazonense.

Entre as causas estão a eclampsia, uma complicação relacionada aos últimos três meses de gravidez, além de hemorragias e hipertensão, como explica a obstetra Mariana Telles. (Ouça)

Mariana Telles explica que para evitar casos de complicações durante a gravidez é necessário que mãe tenha um pré-natal adequado: (Ouça)

A mestre em saúde, Erica Lima, diz que esses números estão também relacionados com problemas econômicos e sociais do Amazonas. (Ouça)

Os dados coletados pela FVS mostram que mortes relacionadas a gestantes aumentaram durante a pandemia. Das 308 registradas nos últimos 5 anos, 123 foram em 2021, ano de pico da pandemia no Amazonas.

Um estudo realizado pela Fiocruz já mostrou que as mortes maternas na região norte aumentaram 56% durante a pandemia.