Justiça Federal deve decidir se mantém presos três suspeitos das mortes de Dom e Bruno

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

A Justiça Federal decide nesta sexta-feira (8) se converte a prisão temporária em preventiva dos três primeiros homens presos por suspeita de envolvimento nas mortes do jornalista Dom Phillips e do Indigenista Bruno Araújo, em junho, no Vale do Javari, no Amazonas. O Tjam enviou o processo para a esfera federal após concluir que as vítimas foram mortas por defender os direitos indígenas, o que muda a competência do caso.

(Foto: Reprodução)

Durante coletiva de imprensa, o Superintendente Regional da Polícia Federal do Amazonas, Eduardo Alexandre Fontes, lembrou que as prisões temporárias, determinadas pela Justiça do Amazonas, vencem nesta sexta.

O delegado confirmou a prisão do quarto suspeito dos crimes nessa quinta-feira (7), em Tabatinga (AM). O homem conhecido como “Colômbia” se apresentou voluntariamente após ter o nome citado pela imprensa. Ele foi até a delegacia da Polícia Federal de Tabatinga para afirmar que não era o mandante dos assassinatos, mas foi detido por apresentação de documento falso aos agentes federais.

Além dessa prisão, oito pessoas foram identificadas por envolvimento efetivo no crime, sendo os três presos e cinco indiciados pela prática de ocultação de cadáver que, em razão da pena, respondem em liberdade.

Da redação