Gratificação por armas apreendidas beneficiou mais de mil policiais em 2022

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Mais de mil policiais militares receberam, de janeiro a agosto deste ano, a gratificação dada aos profissionais da segurança por armas de fogo apreendidas de criminosos em todo o Amazonas. Em bonificações concedidas pelo Governo do Estado, o valor passa de R$ 246 mil.

A bonificação foi criada pelo governador Wilson Lima. Segundo levantamento realizado pela Polícia Militar, o pagamento da gratificação por armas, registrado de janeiro a agosto 2022, supera anos anteriores, desde quando a lei foi implementada no Amazonas. Em 2020, nos oito primeiros meses foram pagos R$ 213,4 mil, e em 2021, R$ 232,6 mil.

No caso de policiais militares que receberam o benefício, 742 tiveram pagamento da gratificação em 2020, e 871 em 2021. Com o número registrado nos oito meses de 2022, de 1.079 policiais, o aumento de profissionais com a gratificação representa 45% em dois anos.

O comandante-geral da Polícia Militar do Amazonas, coronel Vinícius Almeida, afirma que gratificação estimula o trabalho nas ruas, resultando em mais segurança para a população.

“São poucas as polícias militares do Brasil que têm essa possibilidade, isso é um estímulo para o bom policial, que é a grande maioria da Polícia Militar, e mais uma forma de remunerar o nosso profissional para que eles sempre possa produzir de maneira mais eficiente”.

O primeiro tenente da Rondas Ostensivas Cândido Mariano (Rocam), Gelberth Matheus, de 28 anos, comemora por dois anos seguidos o título de policial que mais apreendeu armas dentro da corporação, incluindo ações de patrulhamento táticos, denúncias anônimas e operações policiais.

“É gratificante! A gente fica feliz com o reconhecimento. Há quatros anos estamos trabalhando no batalhão da Rocam, já viemos combatendo a criminalidade mesmo antes dessa gratificação existir e a gente fica muito satisfeito com o reconhecimento, grato com a iniciativa porque, querendo ou não, é uma ajuda de custo que vai fazer diferença no orçamento do policial militar”, disse Gelberth.

Beneficiados

A recompensa é um projeto do governador Wilson Lima que começou a ser elaborado em 2019. A Lei nº 5.044 foi regulamentada em janeiro. Pelo decreto que rege a premiação, o policial que apreender armas de fogo deverá submeter à sua instituição – Polícia Civil ou Militar – alguns documentos, como auto de apreensão de armamento, entre outros, para ter direito ao bônus. Os valores variam de R$ 300 a R$ 1.000.