Equipe de Biden recebe cautelosamente a corrida presidencial de Trump em 2024

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

A decisão de Donald Trump de entrar na corrida de 2024 pode ajudar a dar a Joe Biden um segundo mandato na Casa Branca, acreditam o presidente democrata e seus assessores, vendo seu antecessor republicano como um político vulnerável e derrotado, mesmo quando eles se preocupam com o impacto que uma campanha amarga poderia ter na América.

Vários assessores e conselheiros de Biden, falando sob condição de anonimato, fizeram sua avaliação de como o presidente e sua equipe veem a entrada de Trump na corrida. Trump fez seu anúncio na noite dessa terça-feira (15), enquanto tentava obter uma vantagem sobre possíveis rivais para a indicação republicana.

Biden, que derrotou Trump nas controversas eleições de 2020, até agora permanece calado publicamente. Quando ele e o presidente francês Emmanuel Macron foram questionados por repórteres na reunião do G20, em Bali, se eles reagiram ao anúncio de Trump, eles se entreolharam brevemente e compartilharam um leve sorriso.

“Na verdade não”, disse Biden, antes de voltar sua atenção para os manguezais que ele e outros líderes mundiais estavam plantando.

Seus assessores descreveram Trump como uma figura vulnerável e derrotada que motiva os eleitores democratas a ir às urnas e lembra os centristas do caos e turbulência que cercaram sua presidência. Eles também retrataram Trump como uma ameaça à democracia dos EUA por meio de sua falsa afirmação contínua de que a eleição de 2020 foi roubada dele por meio de fraude eleitoral generalizada – uma alegação que motivou o ataque de 6 de janeiro de 2021 ao Capitólio, dos EUA, por seus apoiadores.

“Trump é definitivamente o mais vulnerável dos candidatos, mas ele vem com um custo que a Casa Branca está ciente”, disse um importante democrata que trabalha com a Casa Branca em questões políticas, falando sob condição de anonimato.

É importante não subestimar Trump nem sua influência sobre os líderes republicanos, disse outro conselheiro de Biden, observando que Trump foi descartado muitas vezes no passado por especialistas apenas para ressurgir mais forte.

Biden, que já é o presidente mais velho dos Estados Unidos e completa 80 anos no domingo (20/11), não anunciou formalmente se tentará a reeleição. Trump tem 76 anos. A maioria dos americanos aponta os 75 anos, como idade limite para concorrer à presidência, de acordo com pesquisa Reuters/Ipsos .

Assessores de Biden, incluindo Anita Dunn, começaram a esboçar pessoal e planos organizacionais para a esperada campanha de reeleição de Biden, de acordo com uma pessoa informada sobre os planos. A expectativa é que a campanha esteja equipada e pronta para um anúncio de Biden no início de 2023 e totalmente funcional na primavera, disse a pessoa.

Da Reuters
Photo: Reuters/Kevin Lamarque