Dia mundial da segurança e saúde no trabalho: como se precaver do Burnout

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email

Nesta quinta-feira (28) é comemorado o Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho. A Síndrome de Burnout ou síndrome do esgotamento profissional, é caracterizada pelo excesso crônico de estresse ocupacional que leva ao cansaço emocional e físico, influenciando na redução da capacidade do indivíduo. Um estudo do PhD em Neurociências e Biólogo, Prof. Dr. Fabiano de Abreu Agrela, que foi recentemente publicado na Recisatec – Revista Científica Saúde e Tecnologia, revelou que a correlação da alta produtividade e da Síndrome de Burnout é possível, porém, não necessariamente se  apresentam  como  fenômenos  decorrentes  um  do  outro.

No estudo, o neurocientista explica que “a alta produtividade no trabalho é algo comum nos dias de hoje, as pessoas querem produzir mais, de maneira rápida, sabendo administrar melhor o seu tempo de modo que não se cansem muito e sejam práticos”.

A partir disso, o objetivo do estudo de Agrela foi compreender a diferença entre um indivíduo produtivo e aquele com a síndrome de Burnout, a partir da revisão de literatura, realizada por meio de bases de dados.

“Um  indivíduo  altamente  produtivo  é aquele  que  consegue  desempenhar  diferentes  ações  em  diferentes  áreas  da  vida  (física,  social, emocional  e  profissional)  com  equilíbrio,  por  isso  apresenta  alta  produtividade,  por  manutenção  de metas e foco em objetivos, principalmente para a sua saúde mental e física”, diz trecho do estudo.

Já o esgotamento ocorre quando o sistema nervoso central fica inflamado e acaba sendo mediado pelo  sistema  imunológico  com  taxas  de  alta  ou  baixa quantidade de cortisol  e, ao  mesmo  tempo liberando substâncias   que   levam   a   sensação   de   prazer   como  a dopamina   e   a   serotonina, que são neurotransmissores, desregulando-os.

O professor também concluiu que “a evolução tecnológica do ser humano não foi uma evolução cerebral tornando-se uma sobrecarga ao cérebro, transformando essa sobrecarga em uma síndrome, por exemplo, a de Burnout”.

Da Assessoria