Senadores eleitos no AM: homem, branco, com nível superior e mais de 50 anos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Reportagem: Cindy Lopes

O perfil médio dos candidatos eleitos ao Senado pelo Amazonas é o mesmo das três eleições da última década: homem, branco, casado, com nível superior e mais de 50 anos.

Nas eleições de 2010, sete político disputavam o cargo federal, entre eles, duas mulheres. À época, a população do estado elegeu Eduardo Braga (MDB) e Vanessa Grazziotin (PC do B).

Em 2014, em uma disputa de seis candidatos, Omar Aziz (PSD) foi o escolhido para representar o Amazonas na bancada do Senado. Nenhuma mulher concorreu ao cargo naquele ano.

No pleito de 2018, os políticos que chegaram ao Congresso Nacional foram Plínio Valério e Eduardo Braga, reeleito ao cargo em uma disputa com 6 homens e uma mulher.

Os dados constam no site do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

As características em comum não param por aí. O perfil dos candidatos eleitos na última década é de nomes já conhecidos na política amazonense.

Antes de chegar ao Senado, Eduardo Braga já tinha sido vereador de Manaus, deputado estadual, deputado federal, vice-governador e governador do Amazonas.

Vanessa Graziotin já havia sido deputada federal e vereadora de Manaus.

Omar Aziz foi deputado estadual, vice-prefeito, vice-governador e governador.

Plínio Valério já havia sido vereador e deputado federal.

Na avaliação da colunista de política da BandNews Difusora, Rosiene Carvalho, há uma série de engrenagens que impõem desigualdade nas disputas para aqueles que vêm de segmento fora da elite econômica.

Na disputa pelo Senado, em 2010, as candidatos que mais receberam votos eram brancos, tinham entre 50 e 54 anos, eram casados e possuiam ensino superior completo.

Lá em 2014 não mudou muita coisa! 99,38% dos votos foram em políticos brancos, com idade entre 55 e 59 anos, casados e com grau de ensino superior.

Em 2018, as características do perfil dos candidatos se mantiveram semelhantes.

Para o cientista político, Carlos Santiago, a escolha de nomes já tradicionais na política amazonense só reforça que não há nos partidos vontade de renovação dos quadros partidários:

Para as eleições de 2022, concorrem a uma cadeira no congresso nacional Alfredo Menezes (PL), Arthur Neto (PSDB), Amorim Bessa (Solidariedade), Luiz Castro (PDT), Marília Freire (Psol), Omar Aziz (PSD) e Peter Miranda (AGIR).