O parto é um momento muito especial na vida de qualquer mãe. É também uma experiência muito intensa, que envolve cuidado, mas também muito amor. De acordo com o ginecologista e obstetra Leonardo Gobira, cada vez mais as unidades de saúde têm desenvolvido o parto humanizado, que consiste na assistência da mulher em todas as etapas da maternidade.

“A humanização do parto compreende pelo menos dois aspectos fundamentais. O primeiro é o dever das unidades de saúde em receber com dignidade a mulher, seus familiares e o recém nascido. Os profissionais atuam com ética e de forma solidária em um ambiente acolhedor. O outro se refere à adoção de medidas e procedimentos benéficos para o acompanhamento do parto e do nascimento, evitando práticas intervencionistas desnecessárias”.

O parto humanizado é um conjunto de procedimentos, que vão desde casos de perda do bebê na gestação, passando pelo nascimento respeitoso até o puerpério, compartilhando, ouvindo e respeitando a mãe. Ele possibilita que a mãe participe ativamente das decisões. Tudo isso tem o objetivo de proporcionar uma experiência mais segura e acolhedora.

“O procedimento coloca a mulher e o seu bebê como protagonistas, sempre prezando pelo bem-estar de ambos. A mãe pode escolher se quer a presença de acompanhantes ou não, a posição no momento do parto e o local onde o bebê nascerá”, diz o obstreta.

Gobira alerta que se, durante o trabalho de parto, a mulher optar por uma cesárea, ou a saúde da mãe ou do bebê estiver comprometida, o procedimento deve ser realizado. A psicóloga Taísa Birimba, de 27 anos, deu a luz ao pequeno Joaquim Birimba no dia 24 de julho deste ano e diz que foi uma das melhores opções que tomou no processo de gestação.

“A princípio eu não procurei um parto humanizado, mas sim um serviço técnico e completo. No entanto, o parto humanizado veio com um plus de tudo aqui que eu estava precisando nesse momento. A gente atrela a rede de apoio à família, mas as vezes você precisa disso também em todos os profissionais que te acompanham durante todo o pré-natal até o parto. A minha gestação foi muito atípica e no dia da cesária eu sabia que eu tinha uma equipe me proporcionando uma experiencia de pura dedicação, sendo o ápice da minha gravidez no meio do caos”.

‌Um dos protocolos seguidos com rigor é garantir o direito da paciente de ter uma pessoa de confiança como companhia a todo instante. Isso ajuda a mulher a sentir-se mais confiante e relaxar. Além disso, a equipe adota outros procedimentos, como a dieta livre, o banho, a massagem e técnicas de respiração.

“Antes de optar por um parto humanizado, a grávida precisa fazer um pré-natal rigoroso. Assim vamos ter certeza se não há a necessidade de intervenções”, destaca Gobira.

Da Assessoria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *