Siga-nos as redes sociais

Siga-nos nas redes sociais

Ato em Brasília marca os dois anos dos assassinatos de Bruno e Dom no Vale do Javari

Completa hoje, 05, dois anos da morte do indigenista Bruno Pereira e o jornalista britânico Dom Phillips. Eles foram vítimas de uma emboscada que resultou no assassinato da dupla.

O Ministério dos Povos Indígenas (MPI) fará nesta quarta, 05, atos em memória dos dois anos do assassinato do indigenista Burno Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips e apresentará um balanço das ações do Plano de Proteção do Vale do Javari. O plano de combate a invasores, garimpeiros, pescadores ilegais e traficantes na Terra Indígena do Vale do Javari.

Na mais recente atualização do caso, o juiz federal Cláudio Gabriel de Paula Saíde manteve a decisão de levar o caso a juri popular e encaminhou o caso ao Superior Tribunal de Justiça-STJ.

Os dois realizavam uma expedição no Vale do Javari, segunda maior Terra Indígena do Brasil, palco de conflitos em decorrência do tráfico de drogas e extrativismo ilegal. Bruno e Dom Phillips investigavam criminosos dedicados à pesca indevida. Eles foram vistos pela última vez ao se deslocarem, de barco, da comunidade de São Rafael até o município de Atalaia do Norte, onde encontrariam lideranças indígenas. Os corpos foram encontrados enterrados em mata fechada, próximos à calha do Rio Itacoaí.

Investigações da Polícia Federal apontaram o chefe de uma organização transnacional armada, Rubens Villar Coelho, conhecido pelo apelido Colômbia, como mandante dos homicídios. Ele está preso, assim como seu segurança pessoal, Jânio Freitas de Souza, e aguarda julgamento com os demais acusados, Jefferson da Silva Lima e os irmãos Amarildo e Oseney da Costa de Oliveira.

Da redação.