As análises sobre as mortes de 150 botos no Amazonas devem sair em até uma semana. A estimativa é da equipe da operação Emergência Botos Tefé.

Os pesquisadores aguardam o resultado de exames realizados nas carcaças dos animais, especialmente nos tecidos cerebrais para saber se houve alteração causada pela alta temperatura do lago.

A temperatura elevada, que chegou a mais de 39°C, é considerada a principal hipótese das mortes.

Um boletim mais recente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que coordena as ações, registrou a morte de 153 botos até terça-feira (17).

Do total, 130 botos são vermelhos e 23 são da espécie tucuxi.

Para evitar mais mortes, os pesquisadores estão montando uma espécie de cordão para isolar trechos mais quentes e conduzir os mamíferos para áreas mais profundas do lago, onde a temperatura é mais baixa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *