AM tem no eleitorado mais pessoas com deficiência e que usam nome social em 2022

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Reportagem: Tawanne Costa

O número de pessoas com deficiência nas eleições de 2022 cresceu 39%, no Amazonas.

Os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que em 2018, as pessoas com deficiência que exerceram o voto nas urnas eram quase 11 mil e 600. Já em 2022, o número subiu para mais de 16 mil eleitores.

Na classificação de deficiências estão: visual, auditiva, locomoção e pessoas com dificuldade para o exercício do voto.

O eleitorado representa apenas 0,6% nas urnas.

Apesar disso, o sociólogo e colunista da BandNews Difusora, Marcelo Seráfico, afirma que é preciso resguardar os direitos desta parcela da população.

Entre as minorias estão também as pessoas que agora contam com o nome social no título do eleitor.

Na ultima eleição, em 2018, 109 declararam ter o nome social. Em 2022, o número aumentou para 469.

É o caso de Bruna Santorini que vai às urnas já com o novo nome.

Vale lembrar que nome social é aquele pelo qual o transexual ou travesti é reconhecido socialmente, diferente do nome civil, que consta na certidão de nascimento.

Para a líder do movimento LGBT Amazonas, Bruna La Close, o momento representa um avanço na cidadania.

As pessoas com deficiência ou com dificuldade de locomoção podem solicitar à Justiça Eleitoral para votar em uma seção especial com acessibilidade.

As seções especiais são espaços adaptados para oferecer fácil acesso e maior comodidade e segurança no momento do voto.